GÊNESIS

1. Gênesis do Padre Tiago Theisen.

Em 23 de outubro de 1930, na bela e pequena cidade de Namur, a sessenta quilômetros de Bruxelas, capital da Bélgica, nascia Jacques Theisen. Filho de Joseph Theisen, natural de Bertoghe na Bélgica e da senhora Anna Jonet de Namur. O casal teve cinco filhos, sendo Jacques o caçula da família. Seu pai, sua mãe e seus irmãos: Luiz, João Pedro, Juliana e José já são falecidos. Seu irmão padre José foi ordenado presbítero três anos antes dele atuou no Estado de Alagoas no Município de Craíbas. Só conheceu um tio por parte pai e o avô da mãe, e assim foi educado numa família cristã, obediente aos sacramento e mandamento da doutrina cristã católica.

Sua infância foi passada em Namur, na época uma pequena cidade com 100.000 habitantes. O povo vivia de administração, já que Namur é capital da província.

O menino Jacques foi sempre participativo, inteligente e ávido de conhecimentos procurava aprender tudo quanto lhe ensinavam e com uma facilidade fora do comum assimilava as informações. Cedo demonstrou uma personalidade forte e um espírito independente e extrovertido nas brincadeiras de infância e no destemor de seus atos e vontades. Sempre se destacou pela lucidez e inteligência que demostrava naturalmente. Ele vivenciou quatro anos da 2ª Guerra Mundial; durante este período sua família chegou a passar fome, fazendo apenas uma refeição por dia e tendo como única opção o farelo. Para cozer os alimentos precisavam buscar lenha em um local bem distante de sua residência. Nesta mesma época ele estava com 12 anos, e com essa idade sofreu uma intervenção cirúrgica no intestino, que o deixou com risco de morte. E em virtude de tal complicação foi cirurgiado mais seis vezes. Ele viu a morte de perto, e diante deste fato passou a valorizar mais a vida.

Na Guerra viu a morrer mais de 500 pessoas de uma única vez num bombardeiro. Na ocasião de enterro foi jogado cal virgem em cima dos corpos. Este episódio desastroso se deu pelo erro de cálculo; o alvo era para destruir uma ponte e tudo caiu em cima de uma pequena cidade.

Além disso, dois fatos marcaram sua vida na ocasião dos seus 15 anos: o primeiro foi a decapitação do Padre Georges pelos Alemães, que celebrou sua primeira Eucaristia. E o segundo foi o fuzilamento de onze pessoas de sua cidade. Esta execução ocorreu às 04h30 da manhã. Por ele ser colega dos filhos dos militares responsáveis pelo fuzilamento (dos onze indivíduos) teve acesso ao local da execução. Tratando-se de curiosidades da juventude organizaram-se para assistir o extermínio dos mesmos. O Padre afirmou que foi uma experiência muito desagradável o presencialmente deste fato, vendo todos imobilizados e sem defesa ao mesmo tempo, quando foi apontado, a mira do alvo. Sendo este alvo justamente seres humanos.

Apesar da Guerra e do problema de saúde vivenciados nos seus primeiros anos de vida, considera que teve uma infância feliz junto de sua família. A família trabalhava com venda e consertos de couro. O pai era bombeiro, e na idade de 15 anos acompanhou- o várias vezes em incêndios.

Sua primeira comunhão aconteceu em 5 de julho de 1942, o Crisma três dias depois. Neste período ele encontrava-se com 12 anos.

Participou de grupos de jovens e escoteiros. A sua participação no grupo de escoteiros lhe ensinou muito a trabalhar em equipe. Brincadeiras lúdicas e acampamentos promoviam o amadurecimento pessoal e profissional.

  PRÓXIMO >